segunda-feira, 16 de setembro de 2013

O Caminho das Pedras


Quando tive a idéia de estudar em BYU, eu não sabia exatamente o que fazer e nem como. Eu tinha apenas a idéia de que seria bom eu estudar algo da minha própria especialidade atual, que é Tecnologia da informação. Eu sabia que precisava conseguir um bom resultado no TOEFL (teste que avalia a proficiência em inglês) e sabia também que meu inglês não era lá essas coisas. Eu precisava melhorar muito o meu inglês com certeza. Foi por acaso, navegando pelo site da BYU que eu descobri o English Language Center, ou ELC. Percebi que o programa que eles oferecem era exatamente o que eu precisava, um curso de inglês em tempo integral nos Estados Unidos. Embora não conte créditos para a universidade, conta pontos no seu GPA, que é um índice que indica o seu desempenho acadêmico. Resolvi que este seria o caminho.

A viagem de mais de 16 horas foi cansativa, mas interessante. Nosso vôo fez uma escala em Charlotte,  na Carolina do Norte. Lá foi nossa primeira experiência nos Estados Unidos. A passagem pela imigração foi tranquila com toda a documentação em ordem. Enquanto esperávamos pela nossa conexão, tentamos pedir um lanche em uma lanchonete. Foi ai que descobri a primeira coisa que nenhum curso de inglês ensina: como pedir comida no restaurante e como distinguir as opções. Foi uma experiência interessante.

Enfrentar uma cultura totalmente diferente da sua em um país estranho não é uma tarefa fácil. Portanto, se você tiver algum amigo nos Estados Unidos e que more perto do lugar para onde você pretende ir, peça ajuda. Ele pode ajudar em várias coisas, desde como se orientar na cidade até mostrar os costumes do local, as coisas legais e as armadilhas que você pode encontrar se não for advertido. Fomos muito bem recebidos por uma família de brasileiros que moram aqui há vários anos. eles nos ajudaram muito.

Uma vez aqui, duas coisas precisavam ser resolvidas: a compra de um carro e o aluguel de um apartamento. Nesta ordem. Isto porque aqui não tem muitos ônibus e você precisa rodar um bocado para achar o apartamento ideal para você. Você pode comprar um carro diretamente de um particular ou pode comprar de uma loja (dealer). Eu comprei de um particular, mas não foi uma boa experiência. No estado de Utah (e na maioria dos estados), para transferir o veículo para o seu nome, é obrigatória uma inspeção veicular, que checa a segurança do veículo e também as emissões de poluentes. O dealer já te entrega toda a papelada pronta, então eles são responsáveis por garantir que o veículo vai passar na inspeção. O particular não tem esta obrigação. Então eu tive que gastar algum dinheiro (e não foi pouco) para fazer o carro passar na inspeção. Assim, recomendo comprar o carro de um dealer. Lembrando que vendedor de carro é igual no mundo inteiro, então eu recomendo cautela. Peça ajuda do seu amigo e ouça o conselho dele.

Se você vem sozinho para estudar, você pode encontrar em Provo vários apartamentos compartilhados que você pode alugar por uns 300 USD. BYU exige que os alunos morem em apartamentos aprovados, especialmente se você for solteiro. Se você vem com a família, um apartamento de 2 ou 3 quartos pode variar entre 750 e 950 USD. A maioria dos apartamentos já vem com Aquecimento central e ar condicionado quente e frio, uma necessidade de sobrevivência aqui, onde faz 40 graus no verão seco do deserto e -30 graus no inverno. É comum incluir água, TV a cabo e internet, mas não é uma regra. normalmente você tem que pagar pelo gás e pela energia elétrica. Consegui um bom apartamento próximo a BYU, o que ajudou bastante.

Antes de vir para cá, eu antecipei a renovação da minha habilitação e obtive uma Permissão Internacional para Dirigir. Quando cheguei aqui, descobri que não serve para nada. O Estado de Utah exige que você obtenha uma habilitação americana em até 6 meses. Durante este tempo você pode usar a sua habilitação brasileira. Ainda não obtive a minha habilitação americana, então depois eu falo mais sobre isso.

Abrir conta bancária é fácil. Basta você apresentar seus documentos e seu passaporte no banco de sua preferência. Alguns podem pedir o seu Social Security Number, um número de registro que cumpre as funções do RG e do CPF no Brasil. Mas você só consegue obtê-lo se você conseguir a permissão para trabalhar. Eu abri a minha conta no banco Wells Fargo, que tem convênio com BYU.

É facil conseguir um telefone celular pré pago. Trouxe meu aparelho do Brasil e comprei o chip aqui de uma operadora chamada T-Mobile. Pago 50 USD por mês e posso fazer chamadas ilimitadas para os Estados Unidos e Canadá, além de SMS e mais 500 Mb de dados em 4G, ao fim dos quais a velocidade cai para 2G. Outras operadoras como a AT&T e a Sprint oferecem até IPhone de graça, mas você precisa fazer um contrato de 2 anos, então é bom ter certeza de que você vai ficar este tempo aqui antes de fazer um contrato como este. Algumas operadoras pode exigir o Social Security, então pergunte antes.

Roupas e alimentação são em média a metade do preço que se paga no Brasil, o que ajuda bastante. Combustível, energia elétrica e gás também são mais baratos. Algumas lojas como a Ross oferecem produtos de ponta de estoque, mas de qualidade, a preços muito interessantes. Comprei uma jaqueta de couro da Calvin Klein por apenas 59 USD. Isso para que se tenha uma idéia. Eletrônicos e computadores são muito mais baratos aqui também, então não se dê ao trabalho de trazer o seu computador. Venda no Brasil e compre outro aqui.

Trazer dinheiro para cá pode ser uma amolação. Só encontrei duas maneiras razoáveis de fazê-lo. Uma é usando o cartão de débito internacional do seu banco. Se você não tem, peça para o seu gerente. A outra maneira é usar um cartão pré-pago internacional. Com estes dois meios, você paga somente 0,38% de IOF, mas vai pagar o valor do dolar turismo. Você pode usar diretamente nas lojas para fazer comprar ou pode sacar em qualquer caixa eletrônico (eles chamam de ATM), mas ai você vai pagar uma taxa de 5 a 6 USD, então só vale a pena para sacar valores maiores. Você pode sacar até 1000 USD por dia menos a taxa. Contudo, os ATM só liberam cédulas de 20 USD, então você terá que sacar duas vezes e pagar a taxa duas vezes. Eles pensam em tudo. Para todos os outro métodos de trazer dinheiro você pagará 6,8% de IOF, além de outras taxas, além de ser muito mais complicado. Leve com você pelo menos uns 300 USD na viagem, para pagar taxis e outras despesas que não aceitem cartão, embora eu não tenha encontrado nenhum lugar que não aceite. Just in case.

Estas são algumas coisas que podem ajudar. No próximo artigo, vou falar mais do ELC e de como é a experiência de aprendizado lá. Até a próxima.


Nenhum comentário:

Postar um comentário